Posts Tagged ‘ musica ’

ALMA BARROCA II (train3): Maria Bragança + Dudu Lima + Marco Lobo (film Joao Diniz)

ÁBACO: Suíte Multimídia 2013


flyer Ábaco ccufmg

PTERODATA ao vivo em ‘Ábaco Suíte’ no CCUFMG, BH, 10/04/13 com: João Marcelo (banjo, trombone, percussão), João Diniz (programações sonoras, texto, vídeo, fala), Leri Faria (fala, canto, violão), Rick Bolina (guitarra), Renata da Matta (edição de vídeo, projeção, cenografia), Bel Diniz (edição de vídeo, fotografia, cenografia).

pterodata ao vivo

matéria no jornal ‘O Tempo’ de Belo Horizonte

abaco suite o tempo

ouça o cd ‘Ábaco’

ÁBACO, o cd

Em setembro de 2012 João Diniz apresenta ´Ábaco’ novo cd do coletivo Perodata  que nasce da ideia de criar uma versão sonora para o livro de poesia de mesmo nome lançado por ele e a editora ´Asa de Papel´ em 2011.

Neste trabalho JD e o Pterodata mantêm a proposta de realizar composições sonoras híbridas, incluindo poesia, música, espaços sônicos, falas, cantos e vídeo, alinhada com a ideia da ‘transArquitetura’ que propõe, através destas mídias diversas, a possibilidade de uma arquitetura expandida, na criação de ambientes performáticos e apresentações interdisciplinares.

O disco, bem como a apresentação multimídia de lançamento denominada ‘Ábaco suite multimídia’, propõe a criação de ambientes a partir de faixas instrumentais compostas em computador por João Diniz e que têm a participação de músicos e artistas colaboradores tais como: Rick Bolina na guitarra e/ou baixo em todas as faixas; do músico senegalês Zal Sissokho nos vocais e na kora, um tradicional instrumento africano; Ricardo Cheib na bateria e percussão; Leri Faria nos vocais e falas; Marilene Clara nos vocais; Maria Bragança no saxofone; e também das falas de Daniella Zupo e da arquiteta e poeta polonesa Dorota Wisniewska.

O ábaco é um instrumento ancestral de cálculo que há séculos vem formulando perguntas e dando respostas através de suas contas que sugerem números e seus significados. Neste trabalho livro e disco se integram numa soma suportes e sentidos onde ler/escrever e ouvir/tocar se complementam na busca de uma composição integrada e expandida.

Clique aqui para ouvir o cd Ábaco

FAIXAS:

  1. ALÉM 4:41
  2. MOTE 4:08
  3. MILAGRE 4:59
  4. AZULAR 6:23
  5. LETAL 6:24
  6. MAÇÃ 7:11
  7. FLOR 6:49
  8. SINAL 6:27
  9. REMANSO 4:32
  10. LÍQUIDO 6:07

FICHA TÉCNICA:
JOÃO DINIZ: composição, arranjo, sequenciamento digital, controller e textos (1 a 10), fala (2, 5)
RICK BOLINA: guitarras (1 a 10), baixo (1 e 2), arranjo (2)
ZAL SISSOKHO: kora (2, 4, 7, 9), letra em mandingue, melodia e canto (2)
RICARDO CHEIB: bateria (3, 4, 10), percussões (5)
LERI FARIA: canto e melodia (1), voz (8, 10)
MARILENE CLARA: canto (6, 8), fala (6)
MARIA BRAGANÇA: saxofone (10)
DANIELLA ZUPO: fala (7)
DOROTA WISNIEWSKA: texto em polonês e fala (10)

direção artística, produção e mixagem: João Diniz
engenheiro de som, mixagem e masterização: Ricardo Cheib
Gravação: Estúdio Bemol e tranStudio, Belo Horizonte, Brasil de outubro de 2009 a julho de 2012
Fotografia: Marcílio Gazzinelli
Arte Gráfica: Délio Campos, Bel Diniz, João Diniz e José Luis Baccarini

AGRADECIMENTOS:
Obrigado a: Rick Bolina, Márcio Diniz, Leri Faria, Ricardo Cheib, Zal Sissokho, Marilene Clara, Maria Bragança, Daniella Zupo, Dorota Wisniewska, Álvaro Gentil, Roberta Blasco, Marcelo Xavier, Délio Campos, Marcílio Gazzinelli, Dirceu Cheib, Ibrahima Gaye, Maurício Silva, Paloma Pimenta, Daniel D’Olivier, Renata da Matta, Clara, Isabel, João Marcelo Ricardo, Lúcia e Angela Diniz, Café Book, Editora Asa de Papel, Estúdo Bemol, Café da Manhã, BID, Garage Band e www.

OLHOCINEFOTO about an expo

O curta metragem de Fábio Carvalho (câmera e direção) e Isabel Lacerda (montagem e edição) sobre a exposição de fotografias ROTEIROS INCOMPLETOS de João Diniz que ocorreu entre novembro de 2008 e março de 2009 no Cine Belas Artes Liberdade em Belo Horizonte, Brasil.

………………………………………….

Short film done by Fabio Carvalho (director and camera) and Isabel Lacerda (edictor) at the Joao Diniz’s photography exibition called ROTEIROS INCOMPLETOS at Cine Belas Artes Liberdade, Belo Horizonte, Brasil, from november 2008 to march 2009. Also featuring the great Lô Borges with ‘Fio da Navalha’ at the first part of the soundtrack.

Foz e Welt

capa / cover cds FOZ e WELT, lançados / released  2009

ouça em / listen in: http://www.myspace.com/204753427

veja o videoclip em / see videoclip in: Pterodata / Welt

P t e r o d a t a / uma experiência sonora

Pterodata é o projeto sonoro e multimídia coordenado por João Diniz que é arquiteto atuante em Belo Horizonte e tem sua obra ligada à produção contemporânea de Minas Gerais e do Brasil, com diversas obras construídas, publicadas e premiadas. Dentro de uma reflexão que visa ampliar as fronteiras do fazer arquitetônico ele, que é também professor, propôs a partir do ano 2000 a disciplina transArquitetura, que acrescenta à formação em arquitetura, urbanismo e design, experimentos indiscriminados nas áreas da poesia/literatura, fotografia, vídeo-arte, desenho, pintura, cenografia, escultura, consciência crítica/corporal/espiritual e também a exploração de ambientes sônicos e da música.

Neste contexto de reflexões múltiplas nasce o projeto Pterodata, palavra nova que une a idéia de ptero, ou asa, vôo, e também o pássaro pré-histórico, o pterossauro, ao conceito de data, os dados, os files, arquivos de informação da atualidade, ou seja uma aventura extra tempo e espaço, pan-histórica, buscando ligar-se ao passado, presente e futuro.

Em 2001 são lançados os dois primeiros CDs de musica eletrônica o ‘Octopus’ e o ‘Pterodata’ – que deu posteriormente o nome ao projeto e à ‘banda’- explorando texturas e paisagens sonoras criadas em computador. A partir de então o projeto se abre buscando a participação de outros artistas e instrumentistas, e também a possibilidades de apresentações ao vivo, em performances que incluíam alem dos sons, textos, filmes e imagens.

O espaço sem fronteiras da internet foi importante para a evolução do projeto. Os CDs seguintes ‘Magma’ e ‘Intruder’ existem apenas no espaço virtual onde estão disponíveis para audição e download em vários links. Foi ali na www, através de sites especializados e rádios digitais, que surgiram ouvintes, opiniões, críticas e parcerias provenientes de diversos pontos do planeta, sem destaque especial para o Brasil. Os principais tags para a identificação destas sonoridades são: experimental, minimal, sound design, spoken word, psicodelia, jazz, progressive, soundscape, chillout, meditation e outros.

Em 2009 o Pterodata apresentou simultaneamente dois novos CDs: ‘Foz’ e ‘Welt’ com composições e execuções de João Diniz ao computador e com a participação de músicos como Daniel D’Olivier, Lincoln Cheib, Ricardo Cheib, Rick Bolina, Márcio Diniz, Gilfranco Alves, João Marcelo Diniz, o artista alemão Thomas Schöenauer e a cantora franco-marroquina LamieLa. ‘Foz’ apresenta sonoridades mais ligadas ao conceito de execução com ‘banda’, enquanto ‘Welt’ lida com ambientes e climas mais experimentas. Estes discos foram mixados e masterizados e, em grande parte, gravados por Dirceu Cheib no Estúdio Bemol em BH. As principais faixas destes CDs como Axiom, Canyon, Cyberço, Nebulosa, 52nd st., Welt, Fibonacci e outras podem ser ouvidas, dentre outros endereços, no link http://www.myspace.com/204753427

Estes CDs já estão sendo distribuídos e foram lançados em Belo Horizonte no espetáculo ‘Suítes Foz do Mundo’ onde João Diniz dividiu o palco com o multi-instrumentista Daniel D’Olivier, que também lançou na ocasião dois novos discos seus. Este espetáculo contou com a participação dos músicos Marilene Clara, Ricardo Cheib, Kiko Pederneiras e João Marcelo Diniz e gerou material para DVD ao vivo a ser lançado brevemente.

As gravações do Pterodata aparecem também nas trilhas sonoras dos filmes ‘Olhocinefoto’ de Fábio Carvalho e Isabel Lacerda sobre a exposição fotográfica ‘Roteiros Incompletos’ de João Diniz; ‘JD no Circuito Atelier’ dirigido por Alexandre Pires sobre a publicação do arquiteto na coleção da editora C/Arte; e no EdJK de Eliza Gazzinelli sobre o condomínio JK em Belo Horizonte. Outros clipes produzidos pelo próprio projeto podem ser vistos nos sites YouTube e no MySpace.

Na internet:

http://www.myspace.com/204753427

http://www.lastfm.com.br/music/Pterodata

http://www.youtube.com/joaodiniz

http://www.groundzeroprojects.com/profile/Pterodata

https://twitter.com/joaodinizarch

http://www.facebook.com/profile.php?ref=name&id=699984193

http://www.facebook.com/pages/PTERODATA/238209590814?ref=ts

http://www.joaodiniz.com.br

http://www.architizer.com/en_us/people/profile/joao_diniz/?sr=1

Suítes Foz do Mundo, lançamento nacional de 4 cds e concerto

Com Daniel D’Olivier e João Diniz

Dias 23 e 24 de outubro de 2009

Teatro da Fundação de Educação Artística

Rua Gonçalves Dias 320, Funcionários, BH, fone 32266866.

Suítes Foz do Mundo é o trabalho que o compositor e multi-instrumentista Daniel D’Olivier e o arquiteto João Diniz apresentaram na sala Sergio Magnani na Fundação de Educação Artística nos dias 23 e 24 de outubro, às 20:30 horas.

Trata-se do lançamento de 4 cds produzidos pela dupla, ou sejam a Suíte Mineira e SuiTi de Daniel e os CDs Foz e Welt de João.

A Suíte Mineira é uma peça composta  para cantora soprano e violão de 8 cordas e é uma homenagem do compositor paulistano à nossa civilização mineira com a participação especial da cantora soprano Marilene Clara e de Daniel no violão de 8 cordas.

SuiTi é uma declaração de amor à vida e ao planeta, dela participam Daniel D’Olivier no violão-viola de 12 cordas e saxofones contralto e soprano, Ricardo Cheib na percussão e João Diniz na criação e edição de samplers digitais.

As composições de João Diniz fazem parte de suas pesquisas com ambientes sonoros eletrônicos, samplers e textos. O cd Welt explora texturas e paisagens mais experimentais enquanto o cd Foz conta com a participação de instrumentistas convidados como Daniel D’Olivier, Ricardo e Lincoln Cheib, Rick Bolina, Gilfranco Alves, João Marcelo Diniz e a cantora belga LamieLa. João chama esta união de idéias e pessoas de projeto Pterodata.

O trabalho dos dois autores coincide na busca de novas sonoridades que propõem a reflexão sobre um mundo contemporâneo em transformação e convulsão. A dupla costuma descrever o som como ‘musica para quem não tem pressa…’ no sentido de usar os sons na procura de um centro espiritual e crítico para os participante sejam instrumentistas ou ouvintes.

Daniel associa suas pesquisas musicais ao que chama de Musyoga disciplina que criou e que propõe o equilíbrio do ser através dos sons. João trabalha com conceitos  da transArquitetura que integra, através dos sentidos humanos, relações de tempo e espaço.

As duas apresentações contaram com a participação de Marilene Clara, Ricardo Cheib, Kiko Pederneiras D’Olivier e João Marcelo Diniz.

Leia a matéria escrita por Eduardo Tristão Girão em Suites Foz do Mundo no jornal O Estado de Minas e o texto de Igor Costoll em Suites Foz do Mundo no jornal O Tempo