VETOR VIVO arquitetura em aço por João Diniz

uma exposição de arquiteturas + es.cult/trut.uras em aço

APRESENTAÇÃO

O MM Gerdau – Museu das Minas e do Metal apresenta VETOR VIVO, a partir de 9/7/21 apresenta a exposição do arquiteto João Diniz que traz projetos arquitetônicos e es.cult/trut.uras realizados em aço compondo um conjunto de ideias espaciais, ao mesmo tempo habitáveis e artísticas.

As peças feitas em aço Gerdau foram concebidas de forma experimental e gestual através de maquetes em madeira respondendo às geometrias poliédricas, que proporcionam a estabilidade dos volumes definida pela articulação geométrica das linhas e arestas.

Segundo João Diniz,

“as barras retilíneas ou vetores estruturais podem ganhar vida a partir da manipulação, ao mesmo tempo, racional e intuitiva do aço, o que permite realizar tanto esculturas lúdicas e imaginárias, quanto edifícios reais e duradouros”.

A exposição apresenta 10 es.cult/trut.uras recentes do arquiteto, além do vídeo com seus principais projetos com estruturas e materiais metálicos.

REFLEXÕES FACETADAS

Formulações poético-teóricas sobre a exposição Vetor Vivo

por joão diniz / 2021

1

A reta é a conexão natural e direta entre dois locais, podendo conformar uma trama estável de intenções articuladas.

2

O Vetor Vivo nasce na harmonia da teia projetada e construída, revelando o fluxo das forças invisíveis através da geometria organizadora.

3

O traço sintético, principal célula da composição, é a semente da figura que revela o volume e propõe o espaço que repensa o vazio.

 4

Uma ausência ativa penetra o vácuo conectando seus ocos com uma ideia magnética que é, ao mesmo tempo, o texto e o desenho do pensamento.

5

No ambiente gerado por riscos experimentais nasce o idioma poliglota de conexões que conjugam uma múltipla sintaxe matemática e espacial.

6

A gravidade pousa através de vias condutoras, potencializando uma comunidade solidária de pontos, que deixam de ser abstratos ao realizarem a estrutura resultante.

7

A sombra descreve o arco móvel de contastes numa locução dinâmica que caminha com as fontes de luz ao longo do tempo contínuo.

8

O sólido resultante é como um cristal com sua habitável transparência onde, posições ainda inocupadas, são densas como um liquido estável e salubre.

9

O voo é a rota aérea onde se traça a imaginada meta, sujeita às solidas mudanças do ar e das miradas.

10

A linha do olhar é também uma dirigida intensão do buscar e do perceber, através de um especial enfoque, confirmando a possível unidade resultante.

11

Quando passa um cometa, ou se esboça uma figura, tem-se a ideia abstrata de trajetórias lineares, que só o caos ou a precisão, podem projetar, indicando uma órbita cheia de encantos e riscos.

12

Nas constelações, como nos desenhos, se conformam hipotéticas figuras que recitam mitologias sustentadas culturalmente por séculos de observações e indiferenças. 

13

O ativo repouso das rígidas barras compositivas promovem na poliédrica reticula a expressão múltipla de um ser multifacetado.

14

Quando as dinâmicas lineares aterrissam, entende-se a integração entre o solo e o ar, afirmando que o terreno e o cósmico se atraem.

EQUIPE VETOR VIVO:

João Diniz: projetos arquitetônicos, esculturas e concepção da exposição

Jessica Neves: arquiteta colaboradora

Bel Diniz: fotografia
Fabricação das Peças:  Accero Arte em Aço  

Vídeo ‘Arquiteturas em Aço por JDArq’:

Edição: Daniel Ferreira

Produção: Bel Diniz 

Fotografia: Marcilio Gazzinelli, Bel Diniz, Eduardo Rossi, Gustavo Romanelli, Joao Diniz 

Trilha Sonora: PTERODATA com a participação de: Zal Sissokho, Lamia Ryl, Marilene Clara , João Marcelo, Márcio Diniz, Rick Bolina, João Diniz 

Agradecimentos:

Bruno Castilho, Márcia Guimarães, Equipe MMGerdau, Lucas Carvalho, Beatriz Quaresma, Iara Napoli,  Bel Diniz, Daniel Ferreira, arquitetos e estagiários colaboradores no escritório JDArq, engenheiros e construtores, pessoal das obras, clientes e usuários dos projetos. 

Realização: MM Gerdau: Museu das Minas e do Metal

Patrocínio: Gerdau

Apoio: CBMM

EQUIPE MMGerdau:

Direção: Márcia Guimarães

Assessoria de Direção e Projetos: Mateus Nogueira

Assessoria de Comunicação: Paola Oliveira

Coordenação de Eventos: Stanley Dias

Coordenação do Educativo: Suely Monteiro

Curadoria de Geociências: Andrea Ferreira

Coordenação de Manutenção: Luciana Santos

Coordenação de Museologia: Carlos Jotta

Coordenação de Programação: Alexandre Milagres

Coordenação de TIC: Alexandre Livino

Design: Ana Paula Costa Andrade

  1. No trackbacks yet.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: